Durante os dias 20 a 26 de novembro, as atividades on-line e presenciais da entidade serão realizadas em parceria com a biblioteca itinerante afrocentrada, a Pretoteca Zenaide Zen

 

 

 O tempo, a literatura e a leitura. Estas serão as temáticas das próximas atividades promovidas pela Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto que conta com a curadoria da Pretoteca Zenaide Zen, uma biblioteca itinerante afrocentrada, mantida por pessoas negras, que surgiu no início deste ano com a proposta de construir um acervo literário de autores e autoras negras, resgatando a história e humanidade do continente e da diáspora africana. As atividades acontecem nos dias 20, 23, 24, 25 e 26 de novembro e abordarão o Irokó (o orixá que rege o tempo e o espaço, segundo as nações brasileiras Jeje e Ketu).

 

Encontro presencial

A primeira atividade será a contação de história “Oralidade do tempo - histórias para os nossos erês” e acontece neste sábado (20/11), às 8 horas, de forma presencial em Ribeirão Preto, para os alunos da Escola Marista Social Ir. Rui. Brincar, contar histórias, rir e divertir: é com essa energia que o encontro proporcionará um momento descontraído para a aprendizagem. A contação de história será realizada por Daniella Pereira, da Pretoteca Zenaide Zen e do Griot Clubinho de Leitura. Na sequência, às 9h, Fabricio Bispo e Kamila Andrade, poetas e arte-educadores, apresentam um Sarau literário para os estudantes. A proposta deste encontro é gerar uma reflexão e incentivar os jovens no contato com a poesia. “Queremos despertar a veia cultural que, às vezes, está adormecida nas crianças e mostrar que todo mundo consegue fazer poesia. É possível!”, destaca o poeta Fabricio Bispo. A atividade é exclusiva para estudantes da Escola Social Marista Ir. Rui, fechada ao público. Posteriormente, as duas atividades estarão disponíveis na plataforma da instituição.

 

Encontros On-line

Durante a semana, mais quatro atividades serão realizadas, todas transmitidas pelos canais digitais da Fundação do Livro e Leitura.  Na terça-feira (23/11), às 20 horas, acontece o encontro “Tempo ancestral - a sabedoria dos nossos mais velhos”, com a participação dos escritores Paulo Ifatide Ifamoroti, Odete Silva e Maria Helena Ramos. Neste bate-papo, os escritores irão abordar a memória dos povos africanos, passada de geração para geração, aliada com as experiências sobre livro, literatura e arte. A atividade acontecerá pelo Instagram da Fundação do Livro e Leitura.

Na quarta-feira (24/11), às 20 horas, acontece uma roda de conversa sobre a Lei Nº 10.639, com Rosana Monteiro (ex-coordenadora para implementação da lei em Ribeirão Preto) e Rafael dos Anjos, coordenador do Centro de Referência para as Educação Étnico-Racial. Com o tema “É tempo de aprender - o verdadeiro alimento”, as participantes irão discutir a necessidade do ensino da história e cultura africana e indígena no Brasil. A atividade acontece pela plataforma de reuniões Zoom e canal do Youtube da Fundação do Livro e Leitura.

No dia 25/11 (quinta-feira), às 20h30, o encontro digital terá o tema “Pra ontem - um papo sobre autonomia e autogestão”, com a participação de Camila Oliveira e Marcelo Domingos, integrantes da Pretoteca Zenaide Zen, e Eduardo Donaire, da Biblioteca Zumbi dos Palmares - Apresentação Acervo da Biblioteca. O bate-papo irá falar sobre livros, bibliotecas, literatura e arte com base nos princípios de autonomia e autogestão. A atividade acontece no Instagram da Fundação do Livro e Leitura.

Para encerrar a agenda, acontece no dia 26/11 (sexta-feira) duas atividades: a partir das 20 horas, Iuliana Rodrigues do Resenha Preta, do Clube da Leitura; Carol Gregório, produtora cultural da BSJ e Melina Oliveira, da Pretoteca Zenaide Zen, discutem a “O tempo como um eterno recomeço”. Após o bate-papo, a Cia. Quadro Negro fará uma leitura dramática do livro “Os 3 Esús e o Tempo”, de Rodrigo Cândido. A atividade acontece no Instagram da Fundação do Livro e Leitura.

 

Parceria

Camila Oliveira, integrante da Pretoteca, destaca que a proposta da programação é proporcionar diversas linhas de discussões. “Vivemos numa sociedade, fruto da colonização, que historicamente luta contra o tempo, sempre se movendo entre passado e futuro. A temática foi escolhida para refletirmos como esse tempo nos afeta enquanto pessoas pretas, os reflexos na nossa luta e organização de povo, já que a nossa ancestralidade africana ensina que o tempo é nosso aliado”, explica. Segundo ela, a programação irá trazer ferramentas da oralidade, da leitura e da escrita para conectar passado, presente e futuro. “Nosso público são as pessoas pretas, e sempre a ideia é proporcionar o levante do nosso povo, africano da diáspora Brasil, através de debates lúcidos e inspiradores”, conclui.

Todas as atividades têm curadoria da Pretoteca Zenaide Zen e são gratuitas e abertas à população.

 

SERVIÇO:
8h | Contação de história: Oralidade do tempo - histórias para os nossos erês”, com Daniella Pereira
9h | Sarau literário com Fabricio Bispo e Kamila Andrade
Data: 20/11(sábado)
Atividade exclusiva para estudantes da Escola Marista Social Ir. Rui. Fechada ao público.

Live: “Tempo ancestral - a sabedoria dos nossos mais velhos”, com Paulo Ifatide Ifamoroti, Odete Silva Dias e Maria Helena Ramos
Data: 23/11(terça-feira)
Horário: 20 horas
Plataformas de exibição: Instagram (@fundacaolivrorp), plataforma digital (www.fundacaodolivroeleiturarp.com) e Youtube (www.youtube.com/user/FeiraDoLivroRibeirao)

“É tempo de aprender - o verdadeiro alimento” - Roda de conversa sobre a Lei 10.639, com Rosana Monteiro e Rafael dos Anjos 
Data: 24/11 (quarta-feira)
Horário: 20 horas
Plataformas de exibição: Plataforma de reuniões Zoom (Link https://us02web.zoom.us/j/81833772230)


Live “Pra ontem - um papo sobre autonomia e autogestão”, com Camila Oliveira, Marcelo Domingos e Eduardo Donaire
Data: 25/11 (quinta-feira)
Horário: 20h30
Plataformas de exibição: Instagram (@fundacaolivrorp), plataforma digital (www.fundacaodolivroeleiturarp.com) e Youtube (www.youtube.com/user/FeiraDoLivroRibeirao)


Live: “Circularidade - o tempo como um eterno recomeço”, com 
Iuliana Rodrigues, Carol Gregório e Melina Oliveira
Data: 26/11 (sexta-feira)
Horário: 20 horas
Após o bate-papo, a Cia Quadro Negro fará uma leitura dramática do livro “Os 3 Esús e o Tempo”, de Rodrigo Cândido
Plataformas de exibição: Instagram (@fundacaolivrorp), plataforma digital (www.fundacaodolivroeleiturarp.com) e Youtube (www.youtube.com/user/FeiraDoLivroRibeirao)


Sobre a Pretoteca

A Pretoteca Zenaide Zen é uma biblioteca itinerante afrocentrada que surgiu em 19 de janeiro de 2021. O dia e mês foram escolhidos por se tratarem da mesma data de nascimento de Zenaide Zen que negou seu sobrenome ‘Pereira da Silva’, por acreditar que este nome não fazia parte da sua história, adotando o sobrenome Zen (de Zenaide) e significa equilibro. Criada e mantida por pessoas negras, a Pretoteca Zenaide Zen tem o objetivo de construir um acervo literário de autores e autoras negras, oferecido à comunidade preta. Além do acervo, realiza grupos de leitura, contação de história, debates sobre a contemporaneidade, entre outras atividades que visam questionar a condição do negro na diáspora brasileira e oferecer alternativas de existência que não a da sociedade branca-ocidental.

Sobre a Fundação

A Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos. Trata-se de uma evolução da antiga Fundação Feira do Livro, criada em 2004, especialmente para realizar a Feira Nacional do Livro da cidade. Hoje, é considerada a segunda maior feira a céu aberto do país. Em 2020, a Feira tornou-se internacional e neste ano de 2021 realizou sua 20ª edição, pela primeira vez, no formato on-line, devido à pandemia do novo Coronavírus.

Com uma trajetória sólida e projeção nacional e agora internacional, ao longo de seus mais de 20 anos, a entidade ganhou experiência e, atualmente, além da Feira, realiza muitos outros projetos ligados ao universo do livro e da leitura, com calendário de atividades durante todo o ano. A Fundação se mantém com o apoio de mantenedores e patrocinadores, com recursos diretos e advindos das leis de incentivo, em especial do Pronac e do ProAc.

Atendimento à Imprensa

16 nov/21

Filme foi gravado em Belo Horizonte e é uma adaptação do livro da autora Jéssica Macedo, sucesso de vendas na Amazon Kindle. A produção já está disponível no Cinebrac, website de compartilhamento de produções audiovisuais com conteúdo apenas brasileiro

 

 

 

O longa “Eternamente Minha” estreou no último dia 13 de novembro na plataforma de audiovisual Cinebrac (www.cinebrac.com.br). O filme é uma adaptação do romance escrito por Jéssica Macedo, sucesso de vendas na Amazon Kindle.

 

A história de amor, que já atraiu milhares de leitores da autora brasileira, mostra até onde vai a paixão entre opostos, a força do destino e do amor – vivenciado pelos protagonistas Vitor e Cintia, que, a princípio, enfrentam uma série de intolerâncias na convivência na faculdade de Direito.

 

A produção cinematográfica foi feita durante a pandemia, em Belo Horizonte (MG), cidade natal de Jéssica Macedo, através de uma parceria entre o Grupo Editorial Portal, a autora e a Big Boss Produções. O elenco seguiu protocolos sanitários rígidos, conforme regras de autoridades nacionais e locais.

 

Xanthine Drummond, selecionada para o papel da protagonista Cintia, conta que quando conheceu seu personagem sabia que existiam muitos fãs do livro. “Percebi de imediato que precisava atender a muitas expectativas”, revela a atriz. Para isso, passou por mudanças no visual duas vezes.

 

A autora, que também tem formação em Cinema pela UFMG, diz que a bagagem trazida da universidade facilitou a produção do longa-metragem que é a sua primeira experiência cinematográfica, bem como a adaptação do roteiro de um de seus livros. “Coloquei a mão na massa, tive a oportunidade de até filmar e acompanhei tudo de perto”, comemora.

 

Para Ricardo Assis, o protagonista Vitor e também diretor da Big Boss Produções, ter tido o apoio e a visão de filmagem da escritora no set contribuiu demais. “Eu fiquei muito feliz com o resultado”, destaca. Assis também dirigiu o filme, dupla função que desempenha há bastante tempo em suas produções e que segundo ele, é bem desafiadora. Em “Eternamente Minha”, ele teve uma preocupação ainda maior: agradar de verdade os fãs do livro. “Jéssica tem um grande número de leitores. Por isso, meu principal ponto era rodar um filme bem próximo do que foi narrado no livro – claro que com algumas novidades”, afirma.

 

A produção foi feita sem recursos e, mesmo assim, buscou o máximo da qualidade, o que para Jéssica Macedo foi uma grande superação. A autora dá um spoiler e diz que escreveu uma cena inédita para o filme – justamente para trazer novidade e aquecer a história. 

 

O filme conta também com a participação de Ju Fontana, que vive as gêmeas Cecília e Charlotte, duas personagens bem diferentes. Enquanto Cecília vive com sua mãe Cíntia e não conhece o pai, levando uma vida humilde e simples; Charlotte é uma garota rica, criada pelo pai, não conheceu a mãe e acredita que a mesma morreu em seu parto. É ‘patricinha’, e mimada. Consegue tudo que quer, mas o filme mostra que por trás da garota chata existe um enorme coração. A atriz ficou conhecida por interpretar a órfão muda Suelen, de "Amor sem igual", novela da Record. Fez também o filme "Doce novembro", campanhas publicitárias e participou da novela "Carinha de Anjo", do SBT.

O trailer do longa-metragem pode ser conferido no link:  https://www.youtube.com/watch?v=GfRRKZXLoI0.

 

Sinopse
Cíntia deixou sua casa, sua família e seu namorado e foi estudar em uma cidade grande. Determinada a se tornar advogada, ela não queria um relacionamento, mas o destino estava prestes a surpreendê-la: tentou e lutou com todas as forças para não se apaixonar. Vitor era o oposto de tudo o que desejava: um jovem mimado e rico que a provocou, enlouqueceu e roubou seu coração. Uma gravidez inesperada apenas intensificou o amor entre eles. Porém, o coração deles será partido, promessas serão quebradas, e todo o amor que viveram se tornará uma triste lembrança do passado na qual se negarão a desistir.

 

SERVIÇO
Filme Eternamente Minha

Autora: Jéssica Macedo
Direção: Big Bross Produção e Jéssica Macedo
Elenco: Xanthine Drummond, Ricardo Assis, Ju Fontana
Classificação: 16 anos
Exibiçãohttps://cinebrac.com.br/

Espetáculo 'A Ponte' será realizado pelo Ministério do Turismo e 3M no Teatro Santarosa; ingressos estão à venda nos valores de R$ 30 (meia-entrada) e R$ 60 (inteira)

 

 

 

Nesta sexta (12), às 15h e às 18h, o Teatro Santarosa de Ribeirão Preto será o palco do espetáculo 'A Ponte', do dramaturgo canadense Daniel MacIvor, que ficou conhecido pelo público brasileiro através das montagens de In on It, À Primeira Vista e Cine Mostro. Com tradução de Bárbara Duvivier e direção de Adriano Guimarães, o elenco é formado por Bel Kowarick, Carol Nemetala e Liliane Rovaris.

 

Na peça, Bel Kowarick dá vida à primogênita Theresa, uma freira que se isolou da família em um retiro religioso. Carol Nemetala é Agnes, a irmã do meio, uma atriz falida que deixou sua cidade natal. E Louise, interpretada por Liliane Rovaris, a mais jovem das irmãs, viciada em séries de TV a quem não interessa quase nenhum diálogo para fora do mundo virtual. E neste reencontro, do embate entre elas ambientado na cozinha da casa onde foram cridas, as três vão acabar revendo seus valores, crenças e diferenças em busca da possível reconstrução do núcleo familiar há muito tempo fragmentado.

 

 

Para Bel Kowarick, o reencontro entre as irmãs com personalidades e situações de vida tão distantes, revela uma noção de pertencimento. “Quando você sai do ambiente de casa e retorna àquela mesa de almoço, volta a ser o irmão caçula, o do meio ou o mais velho, mesmo que ganhe o mundo. Voltamos a ser a pessoa de quem não podemos fugir”, acredita a atriz. Segundo ela, a aceitação das diferenças que o espetáculo aborda de forma pontual é uma abordagem cara aos dias de hoje. “É fácil aceitar aquele que é próximo de mim, que pensa quase como eu, mas é duro conviver com o distante. É o nosso exercício atual: não precisamos necessariamente amar essas pessoas, mas sim compreendê-las e respeitá-las”.

 

A Ponte é uma peça extremamente popular e foi o texto de maior sucesso do autor canadense. “A qualidade da dramaturgia é latente no texto de MacIvor,” ressalta o diretor Adriano Guimarães.

 

Os ingressos custam R$ 30 (meia-entrada) e R$ 60 (inteira). As vendas acontecem na bilheteria do Teatro Santarosa 1h antes da apresentação, e por meio dos endereços: https://cutt.ly/dTs7pec (às 15h) e https://cutt.ly/8Ts4T5z (às 18h).

 

Ficha Técnica

Texto: Daniel MacIvor.

Tradução: Bárbara Duvivier

Dramaturgia: Emanuel Aragão

Direção: Adriano Guimarães

Elenco: Bel Kowarick, Carol Nemetala e Liliane Rovaris

Assistência de direção: Liliane Rovaris

Cenografia: Adriano Guimarães e Ismael Monticelli

Figurino: Ticiana Passos

Iluminação: Wagner Pinto

Direção de Movimento: Denise Stutz

Programação Visual e fotografia: Ismael Monticelli

Fotos de cena: Flavia Canavarro

Produção Executiva: Adriana Salomão

Produção Local SP: Contorno Produções

Administração e Produção: Super Normal

Direção de Produção e Idealização: Bel Kowarick e Maria Flor

Lote de convites com valor promocional é limitado; Organização da festa também explica sobre a entrada de menores

O Bloco Califórnia começa a pré-venda dos convites, com lote de valor promocional limitado, nesta segunda-feira, dia 08 de novembro, a partir das 12h. A festa que marca o pré-carnaval em Ribeirão Preto está confirmada para o dia 19 de fevereiro de 2022, no Estádio Palma Travassos.

 

 

Na pré-venda, os foliões podem adquirir os ingressos pelo valor promocional único de R$ 30,00 - tanto para o tradicional Ingresso Solidário quanto para meia-entrada. Na modalidade Ingresso Solidário é necessário doar um quilo de alimento não perecível na entrada do evento.

 

Entrada de Menores de Idade

O Bloco Califórnia também receberá menores de idade, desde que apresentem termo de autorização assinado (impresso em mãos) e acompanhados pelos pais ou responsável legal. Ao estar com os pais, o termo precisa estar somente assinado. Já pelo responsável legal acima de 18 anos é preciso que a autorização também esteja com firma reconhecida.

 

O termo pode ser acessado no site do Bloco Califórnia, a partir da abertura da pré-venda.

 

Onde comprar?

Os convites da pré-venda podem ser adquiridos pelo site do evento. As formas de pagamento são: cartões de crédito e de débito, boleto e PIX.

 

Programação

A organização do Bloco Califórnia informa que a programação da edição 2022 será divulgada em breve. O circuito Palma Travassos contará com 2 trios elétricos e 12 atrações entre bandas nacionais e locais, DJs e baterias universitárias.

 

Anote aí!

O que: Bloco Califórnia 2022

Quando: 19 de fevereiro

Local: Estádio Palma Travassos - Ribeirão Preto

Pré-venda dos convites: 08 de novembro às 12h

Valor: R$ 30 - Meia-Entrada e Ingresso Solidário

Para adquirir, basta acessar aqui.