29 ago/14

Reunião no Botequim Ribeirão

postado por Diogo Branco


As reuniões são essenciais para um bom trabalho em equipe.
Elas servem como ponto de encontro para discussões, decisões e avaliações conjuntas. Garantem alinhamento de idéias e planejamentos.
A equipe do Farofa Cultural se reune mensalmente visando um bom andamento do site. É ali que o Farofa entra em pauta, e o resultado dessas reuniões são vistas de maneira efetiva no decorrer da semana, com suas constantes atualizações sobre os mais variados assuntos.

Para as reuniões se tornarem ainda mais especiais, nada como escolher um bom ambiente, que proporcione conforto e tratamento especial.
No Botequim Ribeirão, o Farofa Cultural encontrou não apenas um novo parceiro, mas uma preocupação visível de realizar um bom atentimento com todos os seus clientes, uma qualidade excepcional em seus pratos e bebidas, e um ambiente realmente acolhedor.
DIOGO+BRANCO
Os farofeiros Carol Piscitelli e Diogo Branco. 



A escritora Juliana Sfair, também presente na reunião do site.


Equipe Farofa Cultural: Juliana Sfair, Mateus Barbassa, Carol Piscitelli e Diogo Branco.

Se você quer conhecer um bar que alia conforto e sofisticação, com um exemplar atendimento, o Botequim Ribeirão se torna uma ótima opção.
Nós, do Farofa Cultural, deixamos aqui nossa recomendação: Vale a pena conhecer o Botequim Ribeirão.


BOTEQUIM RIBEIRÃO
Avenida Senador César Vergueiro, 984 - Jardim São Luiz
Telefone: (16) 3234-0248




28 ago/14

Com vocês, Rockamama !

postado por Diogo Branco

No dia 04/09, uma banda de rock ribeirão-pretana dará mais um grande passo em sua carreira: No Sesc, a banda ROCKAMAMA (Gustavo, Felipe, Jadiel e Victor) fará o lançamento de seu primeiro CD, já ansiosamente aguardado pelo público. A banda, que surgiu em 2011 com o intuito de fazer releituras atuais do rock clássico, garante neste novo trabalho carimbar, com maestria, uma exímia e bem trabalhada sonoridade.
Produzido pelo MGB estúdio, o CD ganhará ainda mais fãs no próximo sábado (30), data em que a banda fará um show de abertura para que os Detonautas se apresentem, durante o MGB Festival.
A entrevista do Rockamama cedida ao Farofa você confere abaixo:




FAROFA CULTURAL- Rockamama, com três anos de estrada, vocês certamente já experimentaram um pouco dos altos e baixos que todo músico está disposto a passar durante a carreira. Como vocês enxergam o cenário musical de Ribeirão Preto atualmente? Há espaço para os novos grupos, novas sonoridades e novos talentos?
Sim, acreditamos que há um espaço para novos grupos, apesar de não ser tão amplo quanto seria o ideal, e sempre haver dificuldades, com as quais se tem de lidar. Em Ribeirão Preto, vemos uma cena crescente de bandas que, apesar de ainda pouco numerosas, têm surgido com a proposta de ter uma autoria, ou seja, de escrever as próprias músicas, em lugar de fazer exclusivamente o "cover". É um crescimento bastante tímido, até o momento, ao meu ver, mas que existe. Podemos citar o ótimo trabalho de algumas bandas conterrâneas que tem feito isso: Pó de Café Quarteto (jazz), Chavala Talhada (samba-rock), Cruel Cavan (stoner rock), Sol de Papel (rock), João da Gaita (blues) e Canavieira, apenas para citar alguns poucos; muitas dessas, além de nós mesmos, constam no casting da Produtora Matahari, ligada ao MGB Studio, onde gravamos nosso CD. Essas bandas tem batalhado para encontrar ou criar o espaço para apresentar suas músicas, assim como nós. Muitas vezes a saída é aliar a novidade do som autoral ao que já é conhecido pelo público, ou seja, o cover de artistas já conhecidos, além de poder aproveitar os festivais e eventos culturais que valorizam a música da cidade, como estamos tendo este ano em eventos como a Copa Cultural, 24 Horas de Cultura, MGB Festival, o SESC, entre outros. 
 
FAROFA CULTURAL-Fazer cover de outros artistas é sempre uma tarefa delicada pois muitas vezes a admiração por um determinado artista acaba interferindo na maneira de se expressar ou de interpretar determinada canção. Há no grupo uma preocupação em carimbar uma personalidade própria de vocês? Como vocês acham que o público os enxerga?
Desde o início da banda, a composição de nossos próprios sons e a interpretação de músicas de artistas que admiramos têm caminhado juntas. Na Rockamama, procuramos sempre fazer uma "versão nossa" das músicas de outros artistas, pois gostamos de deixar a nossa personalidade nas músicas. Isso também acaba acontecendo naturalmente, nos ensaios, porque quando estamos tocando uma música cover, acabamos ficando meio "entediados" de tocá-las sempre igual, então às vezes o Jadiel (guitarrista) muda uma parte da guitarra, ou eu mudo a bateria, e assim por diante, até que acaba se tornando uma versão bem diferente da original. O interessante é que às vezes percebemos que o público gosta justamente do fato de termos tocado determinada música de um jeito diferente do que ele estava acostumado a ouvir, o que é muito realizador para nós.
 
FAROFA CULTURAL- Quais são as principais influências ou ídolos da banda? 
Como gostamos principalmente do blues-rock, em que esses dois estilos "parentes" são misturados, e essa mistura aconteceu a partir da década de 60 e 70, nossas principais influências são as bandas desse período. Podemos citar Cream, do Eric Clapton, Jimi Hendrix, Led Zeppelin, Beatles, Yardbirds, Stevie Ray Vaughan, Rolling Stones, que têm um trabalho pelo qual somos apaixonados! São artistas que valorizam muito o "feeling", ou seja, o sentimento que a música é capaz de transmitir, e isso é, ao nosso ver, o que a música tem de mais valioso, e que portanto buscamos transmitir em nossas próprias músicas.
 
FAROFA CULTURAL-O rock-blues "distorcido" sempre esteve presente na história da banda, ou passou a estar mais presente depois da boa aceitação do público?
Na verdade, ele esteve presente desde que decidimos começar a Rockamama, que na época ainda se chamava "Sociopatas". No primeiro repertório que montamos, já tinha "Sunshine Of Your Love" do Cream, e "Pride & Joy" do Stevie Ray Vaughan, pois queríamos em primeiro lugar tocar músicas que gostávamos muito, e que também não eram tocadas por outras bandas da cidade. 
 
FAROFA CULTURAL- Quais os planos para o futuro da banda? Qual o próximo passo?
O plano agora é divulgar o trabalho que produzimos, tentar fazer com que nossas músicas cheguem às pessoas que possam gostar delas tanto quanto a gente! Fazemos isso tocando nosso trabalho nos shows, dando entrevistas como essa, e também usando bastante a nossa página no Facebook (facebook.com/rockamama) onde contamos as novidades, postamos vídeos das músicas novas, etc. E claro, teremos o show de lançamento do CD no SESC de Ribeirão Preto dia 04/09, além da abertura para o show dos Detonautas no MGB Festival, dia 30/08, ambos sendo cuidadosamente preparados nos ensaios da banda! Estamos ansiosos e acreditamos que serão shows muito legais!

 

A categoria "Música" é produzida pelo farofeiro Diogo Branco.

21 ago/14

O ano era 1971. A ditadura acontecia no Brasil, e como é sabido, concomitantemente acontecia o exílio de grandes artistas nacionais.
Gilberto Gil e Caetano Veloso viveram em Londres entre 1969 e 1972. Eles encontraram em Londres uma renovação do repertório local, com os Beatles, Stones, entre outras revoluções que aconteciam ali também naquele período.

Lá em Londres, vez em quando Gal se reunia com os exilados, e nesses encontros muita música acontecia.  
No dia 26 de Novembro de 1971, Gil e Gal se apresentaram no Student Centre da City University London. Parte da plateia era composta por pessoas que também vivenciavam o exílio. Esse momento foi registrado em uma fita, em estéreo, e agora, mais de quatro décadas depois, ele vem à tona no CD Duplo "Live in London '71 , que será lançado em Setembro. 

Entre as faixas do CD, muita música do repertório da cantora baiana, que havia lançado, um mês antes de visitar seus amigos em Londres, seu CD "Gal Costa a Todo Vapor" de estrondoso sucesso no Brasil. Em um dos momentos do show, ouvimos Gilberto Gil dizer "Vocês estão vendo esse clima de informalidade aqui, talvez.... É porque a gente tá...informal." O clima de amizade predominava o ambiente, e é sentido pelos ouvintes do CD.
Era inverno, era um dia frio, mas a música os aquecia. E o sol do verão seguinte, no qual os músicos possivelmente retornariam ao Brasil, já aquecia seus corações.

Alguns trechos desse show inédito você pode conferir abaixo:

https://soundcloud.com/estad-o-cultura/vapor-barato


https://soundcloud.com/estad-o-cultura/falsa-baiana



https://soundcloud.com/estad-o-cultura/aquele-abraco


A fita com o show de Gilberto Gil e Gal Costa ficou mais de duas décadas  em um acervo em Londres. Depois, foi para as mãos de um colecionador. O áudio passou por um longo processo de masterização, e chega às lojas agora em Setembro, com uma edição prevista também em Vinil.



Diogo Branco é um farofeiro apaixonado por música.


14 ago/14

Silva: "Vista pro mar"

postado por Diogo Branco

Desde quando ganhei de presente o CD "Claridão" do brilhante e até então pouco conhecido SILVA , me encantei pela sua sonoridade.
Foi em 2012, e me lembro de ter lido inúmeras críticas em jornais e blogs sobre este músico que era a revelação do momento. Muita gente dizia que, se fosse pra ser colocado numa árvore genealógica da música nacional, SILVA seria neto de Samuel Rosa ou Herbert Vianna, com algum parentesco distante do também consagrado Guilherme Arantes. Nas faixas do disco, havia especialmente uma que conseguia o impossível: Se destacar dentre tantas exímias composições. Parecia ter surgido já como um sucesso: "A Visita", mais tarde bastante utilizada pela publicidade, ganhou fãs com sua melodia alegre e inspiradora.


O novo CD "Vista pro mar", apresenta uma sonoridade indie e, mais uma vez, contemporânea e de personalidade própria. Segundo o músico capixaba, este álbum contém músicas "ensolaradas", e que naturalmente emulam sensações litorâneas. É um CD doce, que traz mensagens de esperança e percepções sobre a vida, sem a nostalgia contida no primeiro álbum.

"Vista pro Mar" foi considerado por diversos blogs como o melhor CD nacional do cenário alternativo lançado em 2014, e contém participações de laureados músicos como Fernanda Takai. Vale a pena conferir. Para mim, continua com fortes influências de Guilherme Arantes, que podem ser notadas nos minutos iniciais do disco. Disponível na íntegra no Youtube (através do canal oficial do cantor), "Vista pro Mar" também pode ser conferido abaixo:


Diogo Branco
Diogo Branco é um farofeiro apaixonado por música.

08 ago/14

Inauguração do Circuito Novo Conceito

postado por Diogo Branco

A Editora Novo Conceito inaugurou na última sexta-feira (01/08) o "Circuito Novo Conceito", evento itinerante que irá rodar o Brasil para mostrar lançamentos, contar histórias, e bater papo. Na FNAC do Ribeirão Shopping, muita gente marcou presença no evento inaugural do Circuito.
O Farofa esteve por lá, e mostra detalhes para você:



Conheça o canal do Youtube do Grupo Editorial Novo Conceito:
http://www.youtube.com/user/EditoraNC