Atividades acontecem remotamente no perfil do Instagram e site da Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto, além da plataforma de reuniões Zoom

 

40tena Cultural – projeto da Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto que leva atividades culturais, shows e bate-papos, divulga sua agenda de atividades para a próxima semana com dicas de leitura para crianças, bate-papo, o quadro fixo “Defenda seu Best” e o tradicional Núcleo de Contadores de Histórias.

 

A programação começa na segunda-feira (23/11) com a atividade “Dicas de leitura para crianças: Literatura negra e representatividade”, com a jornalista e escritora Elizandra Souza. O bate-papo acontece no Instagram (@fundacaolivrorp) e site da entidade (https://www.fundacaodolivroeleiturarp.com/), às 19 horas. Durante o encontro, a escritora irá trazer algumas dicas de literatura negra produzida para as crianças e destacará ainda a importância da pluralidade de vozes e personagens negras. “A proposta nesse bate-papo é aumentar o repertório e as referências das crianças negras, além de dicas de escritoras negras como Kiusam Oliveira, Mel Adún, entre outras”, adiantou Elizandra Souza.

 

Elizandra Souza. Foto: Fernando Solidade

 

 

Segundo ela, os pais devem ler mais para as crianças, já que elas enxergam nos adultos exemplos a serem seguidos. “Acredito que as crianças precisam ser íntimas dos livros e, para que isso aconteça, é importante que o adulto leia para a sua criança. Aprendemos muito com o exemplo”, destaca a autora.

 

Na quarta-feira (25/11), às 19h, a série “Defenda seu Best” será sobre o livro Mulheres que amam demais, de Robin Norwood. O encontro terá a participação da poeta Kimani e será mediado pela psicóloga Mari Luz. Kimani pretende contar sobre sua vivência como mulher negra e dividir com quem está participando algumas situações que passou, fazendo relação com algumas partes do livro. “É esse processo de podermos conversar que nos identificar uns com os outros”, comenta.

 

Kimani. Foto: Sergio Silva

 

Sobre o livro, Kimani destaca a dificuldade em digerir alguns pontos quando ela se identificou com o enredo. “De modo geral, nós mulheres temos uma tendência a priorizar os relacionamentos e estarmos muito mais disponíveis para as outras pessoas, até mais do que para nós mesmas. É isso que o patriarcado faz conosco”, disse. Para ela, o principal ponto positivo de bate-papos como esse é que as mulheres precisam se identificar e conversar umas com as outras. “É um processo de conscientizar as mulheres”, conclui.

 

 Mari Luz

 

Na sexta-feira (27/11), às 19h, durante transmissão ao vivo pelo Instagram e plataforma da entidade, acontece mais um bate-papo, em parceria com o Centro Cultural Orunmila, com o tema: “Conceito é como visgo... (Muniz Sodré) Povos tradicionais de matriz africana”. A atividade será com o cientista social Pedro Neto, com mediação da historiadora Silvany Euclênio.

 

Pedro Neto. Foto: Fernanda Procopio

 

Núcleo de Contadores de Histórias

O tradicional encontro do Núcleo de Contadores de Histórias se reúne, mais uma vez em 2020, remotamente. Organizado e mediado pela atriz Míriam Fontana, a atividade do próximo sábado (28/11), às 10h, terá seis contadores como convidados especiais, são eles: Ademir Apparício, Carol Capacle, Claudete Feijó, Michele Maria, Monalisa Machado e Thaís Foresto. O encontro será realizado através da plataforma de reuniões Zoom (o link para acesso está disponível na bio do perfil da Fundação no Instagram).

 

Mirian Fontana. Foto: Jair Correia

 

Segundo a atriz, o encontro terá uma atividade lúdica corporal, roda de histórias e, para finalizar, uma roda de conversa on-line, com a participação dos convidados. “O tema dessa roda de conversa será como as histórias me fizeram companhia nestes meses de reclusão social e qual a perspectiva as histórias me apontam para o ano que se aproxima”, adianta Míriam.

 

Ela ainda ressalta que os participantes estão livres para contar a história de sua preferência. “Novembro é nosso último encontro do ano. As histórias terão uma abrangência para todas as idades. Elas são como presentes e poderão conter uma voz que abrace os acontecimentos deste ano e nos projetar para o novo amanhã”, conclui a coordenadora.

 

SERVIÇO:

“Dicas de leitura para crianças: Literatura negra e representatividade”
Com: Elizandra Souza, jornalista e escritora
Data: 23/11, 19h

Plataforma: Live pelo Instagram (@fundacaolivrorp) e site da Fundação (https://www.fundacaodolivroeleiturarp.com/)

 

 

Defenda seu Best |  “Mulheres que amam demais”, de Robin Norwood;
Com: Kimani, poeta, e Mariana Luz, psicóloga
Data: 25/11, às 19h

Plataforma: Live pelo Instagram (@fundacaolivrorp) e site da Fundação  (https://www.fundacaodolivroeleiturarp.com/)

Conceito é como visgo... (Muniz Sodré) Povos tradicionais de matriz africana
Com:
 Pedro Neto, cientista social e Silvany Euclênio, historiadora
Data: 27/11, 19h

Plataforma: Live pelo Instagram (@fundacaolivrorp) e site da Fundação (https://www.fundacaodolivroeleiturarp.com/)

Núcleo de Contadores de Histórias
Com: 
Míriam Fontana, Ademir Apparício, Carol Capacle, Claudete Feijó, Michele Maria, Monalisa Machado e Thaís Foresto
Data: 28/11, 10h
Plataforma: reunião pelo ZOOM

 

40tena Cultural

Durante mais de sete meses de programação consecutiva, a 40tena Cultural já realizou mais de 70 atividades e interagiu com mais de 25 mil pessoas. O projeto, realizado pela Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto, tem como proposta incentivar as pessoas a ficarem em casa durante o período de isolamento social, em virtude da pandemia do coronavírus (Covid-19). Semanalmente, são divulgadas atividades que abrangem desde transmissões ao vivo com artistas e convidados até contação de histórias para crianças, shows, dicas e discussões de livros. Para acompanhar a programação semanal, basta acessar as redes sociais da Fundação do Livro e Leitura:

Instagram (@fundacaolivrorp)
Facebook (facebook.com/FundacaodoLivroeLeituraRP)
Linkedin (fundacaolivrorp)
Twitter (@FundacaoLivroRP)
Youtube (FeiraDoLivroRibeirao)
Plataforma www.fundacaodolivroeleiturarp.com

23 nov/20

Nova unidade chega à cidade já com o novo design da marca e tecnologia de ponta

 

foto: HRI

 

O Hard Rock® apresenta a Ribeirão Preto sua já consagrada combinação de música, entretenimento, mercadorias icônicas e a autêntica comida norte-americana. Turistas e visitantes locais poderão conhecer o novo estilo de design e tecnologia de ponta da marca no Hard Rock Cafe® Ribeirão Preto, localizado na Arena Eurobike, arrojado complexo e Estádio situado no Bairro de Santa Cruz.

 

"Estamos entusiasmados em trazer o Hard Rock Cafe para Ribeirão Preto de uma forma que os visitantes desta área nunca experimentaram antes", diz Anibal Fernandez, vice-presidente de Operações e Desenvolvimento de Franquias da Hard Rock International. "Abriremos nossas portas com o rigoroso e premiado programa 'SAFE + SOUND' desenvolvido por uma equipe de especialistas em hospitalidade em colaboração com autoridades mundiais em saúde e saneamento, como Ecolab e NSF, contemplando orientações de importantes agências, como a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC). Estamos ansiosos para receber os fãs do Hard Rock."

 

Foto: Luíz Flavio Bezerra

 

Os visitantes do Hard Rock Cafe Ribeirão Preto já poderão desfrutar da mais extensa atualização do menu do Hard Rock na história da empresa, apresentando mais de 20 novos itens. Deste novo menu é possível destacar os premiados steakburgers, como The Original Legendary® Burger e Double Decker Double Cheeseburger, Milkshakes instagramáveis, Sliders e combinados perfeitos para convidados que queiram criar o seu próprio line-up.

 

A nova unidade em Ribeirão Preto é composta por uma arquitetura moderna com 620 lugares em dois andares, duas salas privativas para eventos, palco e um exclusivo deck para a arquibancada do Estádio. A decoração inclui também uma seleção de memorabilia, itens originais pertencentes a ícones da música. Dentre eles, instrumentos como uma guitarra que pertencia a Paul McCartney e um baixo saído da coleção de Gene Simmons da banda KISS. Outros itens incluem um moletom de Ozzy Osbourne e um disco de ouro que certifica o álbum "Let It Be" dos Beatles.

 

A Rock Shop® do Hard Rock Cafe Ribeirão Preto oferecerá itens inspirados pela música, assim como mercadorias ​​da grife Hard Rock Cafe. Os fãs podem adquirir mercadorias específicas para Ribeirão Preto, como as cobiçadas camisetas e pins colecionáveis, na loja.

O Hard Rock Cafe Ribeirão Preto é a mais nova adição à Arena Eurobike, uma estrutura multiuso e inigualável para a região. Além de um estádio com capacidade para 15 mil pessoas, o complexo oferece opções gastronômicas, de entretenimento, esportes e lazer. Além do deck para arquibancadas, as paredes de vidro do piso principal proporcionam aos visitantes do Hard Rock Cafe uma vista privilegiada para ao estádio, perfeita para ampliar a experiência dos disputados jogos de futebol e shows.

Desde sua fundação em 1971, o Hard Rock está comprometido com uma ampla variedade de causas e atividades filantrópicas em todo o mundo. Em todas as cidades do Hard Rock, a equipe cria uma parceria valiosa à comunidade e o Hard Rock Café Ribeirão Preto busca dar continuidade a essa tradição.

Para comprar mercadorias do Hard Rock Cafe, visite a Rock Shop online em https://shop.hardrock.com. Para obter informações adicionais sobre a marca Hard Rock Cafe, visite https://www.hardrockcafe.com/ .

 

SERVIÇO

Inauguração Hard Rock Cafe Ribeirão Preto

Data: 01 de dezembro (terça-feira)

Local: Arena Eurobike, no Estádio Santa Cruz

Sobre o Hard Rock®:

Hard Rock International (HRI) é uma empresa reconhecida mundialmente, com unidades proprietárias, licenciadas ou gerenciadas em 248 localidades, distribuídas em mais de 70 países, constituídas por Hotéis, Cassinos, Rock Shops®, Cafes e espaços para shows Hard Rock Live. A partir de uma guitarra de Eric Clapton, Hard Rock possui a coleção de memorabilia da música mais valiosa do mundo, com mais de 83.000 peças em exibição em todas as suas unidades. Em 2020, a Hard Rock International foi apreciada como uma das Melhores Empregadoras pela Diversidade e Melhores Empregadores para Mulheres da Forbes Magazine. Hard Rock foi reconhecida, pelo segundo ano consecutivo, como uma das marcas de hotel de melhor desempenho no Estudo de Satisfação de Hóspedes em Hotéis da América do Norte em 2020 da J.D. Power. Os destinos da HRI estão localizados nas principais cidades de acesso internacional do mundo, incluindo suas duas bem-sucedidas propriedades carro-chefe na Flórida, lar do primeiro Guitar Hotel®️ do mundo, no sul da Flórida, onde sua sede está localizada. A marca é propriedade da entidade controladora da HRI, The Seminole Tribe of Florida. Para mais informações sobre a Hard Rock International, visite www.hardrock.com ou shop.hardrock.com.

 

Michelangelo Giampaoli, PhD do departamento de antropologia da Universidade de Illinois, em Chicago (EUA), discute o tema junto com a historiadora Lilian Rosa, durante atividade que faz parte da Jornada Cidade Humana Hoje, nesta 5ª feira, às 19 horas

 

Nesta quinta-feira (12/11), às 19 horas, o Instituto Paulista de Cidades Criativas e Identidades Culturais (IPCCIC) promove mais uma atividade on-line. O tema do encontro será “Acesso à Cultura rumo à Cidade Humana” com a participação de Michelangelo Giampaoli, PhD no departamento de antropologia da Universidade de Illinois, em Chicago (EUA), e Lilian Rosa, presidente do IPCCIC. A discussão será transmitida pelo Instagram do Instituto (@IPCCIC).

 

Um dos assuntos centrais da discussão será sobre o papel da cultura no paradigma de transformar as cidades em locais que ofertam qualidade de vida em diversas áreas. “Falar sobre acesso a cultura durante esse momento, em que a pandemia colocou o setor da produção cultural em crise, é o momento fundamental para discutir o tema”, alerta Lilian Rosa, historiadora e pesquisadora do IPCCIC, que fará a mediação do debate.

 

 

Para ela, a atividade fará com que as pessoas reflitam sobre a importância da cultura na qualidade de vida das cidades, principalmente, como o acesso à cultura pode influenciar nos aspectos da desigualdade social. “Se nós pensarmos na cultura como modo de vida, é fundamental que ela esteja na base das estratégias de planejamento de políticas públicas de uma cidade que projeta ser humana”, afirma a presidente.

 

Para o convidado, Michelangelo Giampaoli, o tema tem uma importância especial para os brasileiros, onde muitas pessoas perderam o emprego ou tiveram o salário reduzido por conta da pandemia. “Dificilmente terá alguém com dinheiro que possa ser usado para a educação e cultura. Portanto, é importante pensar o que pode ou não ser acessado sem a necessidade de pagamento”, comenta o antropólogo, destacando que há a necessidade de valorizar o espaço público, para que todos se sintam acolhidos.

 

 

Michelangelo Giampaoli possui mestrado em Conservação do Patrimônio Cultural - Università degli Studi di Perugia (2004), mestrado em Ciências Antropológicas - Università degli Studi di Perugia (2006), doutorado internacional em Etnologia-Antropologia - Università degli Studi di Perugia e Université de Paris Ouest - Nanterre La Defense (2010) revalidado em 2014 como doutorado em Antropologia Social na Universidade Federal de São Carlos - UFSCar), pós-doutorado na área da saúde coletiva, pelo Dipartimento Uomo & Territorio da Università degli Studi di Perugia (2014) e pós-doutorado na área da antropologia urbana, realizado na UNESP/CNPq (2016). Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia Urbana, Antropologia Médica e da Saúde e no estudo das políticas e práticas de saúde coletiva. Também dedica-se ao estudo da relação entre o homem e a morte a partir da análise dos espaços funerários, publicando em português, italiano, inglês e francês. É membro do "Grupo de trabalho sobre antropologia urbana, desigualdades e saúde no Brasil", do Departamento de Filosofia, Ciências Sociais, Humanas e da Formação (FISSUF) da Universitá degli Studi di Perugia (Itália).

 

Sobre o IPCCIC

É um instituto sediado em Ribeirão Preto e tem como objetivo estudar a realidade das cidades brasileiras e a partir de diagnósticos específicos, com base nas referências culturais dos locais, criar programas de ações integradas entre Poder Público e sociedade para a transformação das cidades em lugares mais humanos. A meta do Instituto é criar Redes de Gestão Cooperadas entre cidades ligadas geográfica e/ou culturalmente.


A equipe do instituto é formada por historiadores, economistas, produtores de audiovisual, professores, arquitetos, cientista da cultura, cineastas, psicóloga, analista internacional, turismóloga, gestora ambiental, cientista social, cientista política e advogados. Ao todo são 23 profissionais que atuam no IPCCIC. Todos são fontes aptas para atendimento à imprensa e dominam assuntos variados que envolvem os cenários das cidades e suas identidades culturais.

 

 

 

 

Atividade irá debater o livro “Teatro das Oprimidas: estéticas feministas para poéticas políticas” e será realizada remotamente através de transmissão ao vivo no Instagram e nova plataforma da Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto

 

 

 

 

Completando a semana de atividades da 40tena Cultural – evento promovido pela Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto que leva atividades culturais, debates, contações de histórias e shows on-line – acontece nesta quinta-feira (12/11), às 19h, bate-papo com a escritora e diretora teatral, Bárbara Santos. O encontro, mediado pela atriz e produtora cultural, Adriana Scannavez, irá abordar o livro “Teatro das Oprimidas: estéticas feministas pra poéticas políticas”, de autoria de Bárbara Santos. A atividade será transmitida, ao vivo, pelo Instagram e nova plataforma da instituição https://www.fundacaodolivroeleiturarp.com/).

 

 

“Teatro das Oprimidas: estéticas feministas pra poéticas políticas” é a terceira obra de Bárbara, resultado de uma experiência teatral que contou com uma equipe de atrizes teatrais feministas - a Rede Ma(g)dalena Internacional. O livro mostra um trabalho investigativo e metodológico do convívio que teve com o grupo. “Fazer o livro foi parte desse processo: fui anotando a parte prática e estrutura da Rede. É resultado desses encontros e experiências que tive”, comenta a autora.

 

Ela conta que o livro é fruto do impacto na vida das pessoas, em que dezenas de grupos feministas formaram a Rede, com diversos festivais. “É um trabalho, ao mesmo tempo, que é fruto do impacto das vidas de centenas de mulheres envolvidas nesse projeto. Para muitas feministas, esse livro vai se tornar uma espécie de ferramenta de trabalho”, destaca.

 

Por dialogar para um público diferente, durante o bate-papo on-line, a autora acredita que vai levar o assunto para pessoas que, talvez, não tenham tido acesso à publicação. “Tenho uma expectativa de alcançar outras áreas e pessoas, além dos meus seguidores. São pessoas que vão poder entrar no debate, e quero ampliar essa discussão”, revela.

Bárbara Santos é atriz, dramaturga, performer, diretora teatral, autora de três livros e fundadora da Rede Ma(g)dalena Internacional de Teatro das Oprimidas, formada por grupos de artistas-ativistas da América Latina, África e Europa. Vive em Berlim desde 2009 onde é diretora artística do espaço teatral KURINGA.

 

PROGRAMAÇÃO SÁBADO

No sábado (16/11), às 16h, acontece mais uma atividade da 40tena Cultural: a contação de história “Da criação do mundo às lendas tribais africanas”, com o ator Evaristo Moura ou, como é conhecido, La Diva Croquete. A história contará a visão do povo africano sobre a criação do mundo, citando a religião e seus orixás, com toda a história do folclore africano. “Já estou preparando o figurino, pensando em todo o enredo das histórias, e espero transmitir conhecimentos, histórias e o lúdico com os contos”, destaca Evaristo.

 

SERVIÇO

Bate-papo: “Teatro das Oprimidas: estéticas feministas para poéticas políticas”
Data: 
12 de novembro (quinta-feira), às 19h
Redes: https://www.fundacaodolivroeleiturarp.com/) e Instagram (@fundacaolivrorp)
Com: Bárbara Santos, autora do livro, e mediação de Adriana Scannavez, atriz e produtora cultural

 

Contação de História: “Da criação do mundo às lendas tribais africanas”
Data: 14 de novembro (sábado), às 16h
Redes: https://www.fundacaodolivroeleiturarp.com/) e Instagram (@fundacaolivrorp)
Com: Evaristo Moura, ator

 

 

40tena Cultural

Durante mais de sete meses de programação consecutiva, a 40tena Cultural já realizou mais de 70 atividades e interagiu com mais de 25 mil pessoas. O projeto, realizado pela Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto, tem como proposta incentivar as pessoas a ficarem em casa durante o período de isolamento social, em virtude da pandemia do coronavírus (Covid-19). Semanalmente, são divulgadas atividades que abrangem desde as transmissões ao vivo com artistas e convidados até contação de histórias para crianças, shows, dicas e discussões de livros. Para acompanhar a programação semanal, basta acessar as redes sociais da Fundação do Livro e Leitura:

Instagram (@fundacaolivrorp)
Facebook (facebook.com/FundacaodoLivroeLeituraRP)
Linkedin (fundacaolivrorp)
Twitter (@FundacaoLivroRP)
Youtube (FeiraDoLivroRibeirao)
Plataforma www.fundacaodolivroeleiturarp.com

 

Sobre a Fundação

A Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos. Trata-se de uma evolução da antiga Fundação Feira do Livro, criada em 2004, especialmente para realizar a Feira Nacional do Livro da cidade. Hoje, é considerada a segunda maior feira a céu aberto do país. Em 2020, a Feira tornou-se internacional e entraria na 20ª edição. Por isso, recebeu recentemente nova identidade, apresentando-se como FIL (Feira Internacional do Livro de Ribeirão Preto), mas foi remarcada para agosto de 2021, devido à pandemia do novo Coronavírus.

Com uma trajetória sólida e projeção nacional e agora internacional, ao longo de seus 20 anos, a entidade ganhou experiência e, atualmente, além da Feira, realiza muitos outros projetos ligados ao universo do livro e da leitura, com calendário de atividades durante todo o ano. A Fundação se mantém com o apoio de mantenedores e patrocinadores, com recursos diretos e advindos das leis de incentivo, em especial do Pronac e do ProAc.

 

Álbum que lançou a cantora no mercado musical está completando uma década em 2020. As 13 faixas do CD serão interpretadas durante transmissão ao vivo pelo YouTube, neste domingo (8/11), a partir do palco do Theatro Pedro II, às 17h

 

 

A cantora Alessandra Freire está comemorando neste ano de 2020 os 10 anos de seu primeiro CD “Três”, que marcou sua entrada no mercado fonográfico. Direto do Theatro Pedro II, neste domingo (8/11), às 17h,  ela apresenta a live “Três - 10 anos” que será transmitida pelo seu canal do YouTube. O show online contará com a presença dos músicos em palco: Robson Ribeiro (guitarra), Alessandro Machado (violão), Carlito Rodrigues (contrabaixo) e Victor Grili (bateria), que vão acompanhar a cantora e também uma participação especial do compositor Evandro Navarro. A produção do  espetáculo é de Evandro Grili.

A live traz uma novidade possibilitada pela tecnologia: todos os músicos que gravaram o CD em 2010 participarão da apresentação, mas por meio do recurso VS, o Virtual Sampler. Trata-equipamento que consegue armazenar sons de arquivos em formato WAV numa memória digital e que serão reproduzidos simultaneamente à apresentação em palco.

 

Para a Alessandra, fazer 10 anos é sempre uma marca importante e, principalmente, por ser uma data que registra seu retorno à música em definitivo. “Foi o início de tudo. Foi por causa do cd “Três” que as pessoas conheceram a minha voz nas rádios, que eu consegui realizar todos os shows no Theatro Pedro II e em outros palcos. Comemorar 10 anos do CD é completar 10 anos da minha volta para a música e de estar atenta às oportunidades que ela pôde me oferecer depois deste trabalho. É muito bom entender que o “Três” traz, de novo, tudo isso à minha vida”, explica.

A proposta da live é fazer com que as pessoas revivam cada detalhe do momento do lançamento. Até o vestuário da cantora será o mesmo usado há 10 anos.  “Vamos utilizar as imagens dos dois teatros onde tudo começou: o Minaz e Pedro II. A ideia é fazer com que as pessoas voltem, de fato, no tempo”, completa Alessandra.

Todas as músicas do CD original serão interpretadas na live deste domingo. A cantora promete uma mostra dos estilos que vão desde o samba, bossa-nova, ao blues e ao jazz. Os sucessos  “Aguaceiro”, “Aldeia Brasil”, “Cadiquinho”, “Saudade Blues”, “Três” e “Qual explicação?”, além de “Alto Paraíso” e “Pro amor viver”, estão no repertório. “As músicas “Exagerado” - sucesso de Cazuza e Barão Vermelho e o samba “Meu Rio”, composto pela cantora, também serão parte integrante da live.

 

Alessandra Freire

Natural de Ribeirão Preto, Alessandra Freire viveu boa parte de sua vida no Rio de Janeiro, onde descobriu sua paixão pela Bossa-Nova. O talento para o canto surgiu cedo, ainda menina, quando cantava com a mãe e participava de serestas com o avô. No Rio, o dom musical aflorou ainda mais depois de conhecer o trabalho de músicos como Tom Jobim, Elis Regina, Miúcha, Chico Buarque, Nara Leão, entre outros ícones da Música Popular Brasileira.

 

Nos últimos 10 anos, Alessandra Freire apresentou projetos musicais bem diversificados. No ano de 2010, a produção que marcou sua jornada musical foi o lançamento do CD Três, pela Nova Digital Produtora, resultante do encontro da cantora com o compositor Evandro Navarro e o músico Robson Ribeiro. O CD reúne 13 faixas que ilustram o talento de Alessandra Freire para a MPB – todas canções de autoria de Evandro Navarro. O trabalho ficou conhecido principalmente por dois hits que tocaram em diversas rádios do Estado de São Paulo como Duas Palavrinhas e Cadiquinho e apresentaram a cantora para os fãs que hoje acompanham seu trabalho. Outro single que a sintonizou com os fãs através das as rádios foi “Exagerado”, sucesso com Cazuza e Barão Vermelho nos anos 80.

 

Depois do primeiro CD, Alessandra investiu na realização de shows como Todas as Mulheres da Música (2012), Vida (2013), O Rock Virou Bossa (2014), Tudo Junto e Misturado (2015) e Barulhinho Bom (2017), além de várias outras apresentações com interpretações mistas destes trabalhos e participações especiais como no espetáculo de aniversário de Ribeirão Preto, em 2018, sendo uma das artistas convidadas pela Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto.

 

O trabalho da cantora pode ser conhecido por seus canais oficiais na internet:
Facebook: https://www.facebook.com/alessandra.freire.50

Instagram: https://www.instagram.com/alessandra_freire_/,

Youtube: https://www.youtube.com/user/AlessandraFreire3

.

 

Serviço

O que : Live “Três, 10 anos” – com transmissão direto do palco do Theatro Pedro II

Quando: 08/11/2020

Horário: 17h

Transmissão pelo YouTube da cantora