11 abr/14

Festival Varilux - Entrevista

postado por Diogo Branco

Do dia 9 ao dia 16 de Abril, o Festival Varilux de Cinema Francês volta às telas dos cinemas brasileiros com o melhor da dramaturgia francesa recente. Em 2014, o Festival chega a 45 cidades, e 70 salas de cinema, incluindo as do UCI em Ribeirão Preto.


Para conhecer um pouco mais sobre esse Festival, suas metas e sua relação com a cidade de Ribeirão Preto, acompanhe abaixo uma entrevista cedida pela diretora da Aliança Francesa Desirèe Resende Cazzoli para o diretor e professor de teatro Mateus Barbassa.

MATEUS BARBASSA -O Festival Varilux de Cinema Francês está em sua 5ª edição e Ribeirão Preto sempre está entre as cidades selecionadas para acolher essa iniciativa. Você acredita que a cidade corresponda às expectativas do Festival?
DESIRÈE RESENDE CAZZOLI -Acreditamos que a cidade corresponda às expectativas já que a cada ano temos um número maior de espectadores. Nós da Alliança Francesa temos como missão divulgar a cultura francesa e acredito que o Festival está se constituindo como uma grande janela da "sétima arte francesa".

MATEUS BARBASSA-A seleção de filmes desse ano está bastante promissora. Você apostaria em algum filme que chamará mais atenção do público?
DESIRÈE RESENDE CAZZOLI - O filme Eu, mamãe e os meninos foi vencedor do César de melhor filme, com certeza chamará muita atenção. Mas como você bem disse temos uma seleção muito promissora com filmes atuais e premiados de todos os gêneros desde o drama até a comédia.



MATEUS BARBASSA- Nesse ano teremos a oportunidade de rever uma obra significativa do cinema francês: "Os incompreendidos". Você acredita que essa obra de François Truffaut ainda tem algo a nos comunicar? 
DESIRÈE RESENDE CAZZOLI - Acredito que sim. Todos nós passamos pela adolescencia,nos questionamos e nos rebelamos contra o autoritarismo e o desprezo. Pode ser que o autoritarismo hoje não venha da escola mas de uma sociedade que dita as regras e trata muito mal, desprezando,  os que querem "criar"sua própria personalidade. 

MATEUS BARBASSA- Qual sua expectativa para o Festival? 
DESIRÈE RESENDE CAZZOLI - Um aumento mínimo de 10% no número de espectadores. Mas principalmente atrair o público com uma seleção extraordinária de filmes divulgando assim o cinema francês.   Sem contar a oportunidade de estar mostrando um pouco da França a Ribeirão Preto justamente no ano em que vamos estar recebendo tantos franceses para a Copa do Mundo.

MATEUS BARBASSA - Como a língua francesa afeta o cinema francês? 
DESIRÈE RESENDE CAZZOLI -A língua francesa, como a maioria das línguas latinas, é muito rica, cheia de expressões e significados podendo criar diálogos fantásticos para o cinema, fazendo com que ele seja atípico e represente características do povo Francês. Acredito que o idioma de um país representa muito da sua cultura e da sua forma de ser e reagir .

Acompanhe aqui a programação completa do Festival:


A entrevista foi realizada pelo diretor e professor de teatro Mateus Barbassa, que também escreve críticas de cinema para o Farofa Cultural.